fbpx

Manufatura Aditiva x Manufatura Convencional

A essa altura, você já deve saber o que é Manufatura Aditiva, mas caso deseje, pode clicar aqui e acessar nossos outros temas que explicam o assunto!

Mas agora, qual é a diferença entre a Manufatura Aditiva e a Manufatura Convencional? 

O que é a Manufatura Convencional?

Primeiro, é necessário entendermos o que é a Manufatura Convencional e quais os principais processos que a compõem. Por Manufatura Convencional entendem-se todos os processos largamente estabelecidos na indústria desde a segunda e a terceira revoluções industriais. Dentre os principais processos, podemos subclassificar ainda em:

Manufatura Subtrativa – Usinagem, Fresagem, Eletroerosão e outros.

Manufatura Formativa – Fundição, Injeção, Conformação e outros.

 

Vantagens da Manufatura Aditiva

O primeiro ponto, mais evidente, está na descrição dos próprios termos Manufatura Aditiva e Manufatura Subtrativa. Ao passo que a Impressão 3D adiciona material, camada a camada, para formar um objeto tridimensional, os processos como Usinagem, por exemplo, retiram matéria prima a partir de um bloco inicial para ao fim entregar o objeto desejado. Isto significa que, por parte dos processos de Impressão 3D, há uma gigantesca economia de material para se produzir o mesmo objeto final.

Quanto aos processos correspondentes à Manufatura Formativa, a vantagem não está no processo em si, pois estes produzem o objeto final de maneira completa e total, injetando todo o material necessário para a formação do objeto de uma só vez. Mas para que esse processo seja possível, é necessário a pré fabricação de moldes, e estes moldes ou serão fabricados artesanalmente ou através da Manufatura Subtrativa, voltando à mesma questão do parágrafo anterior.

Além das vantagens em economia de material, em comparação aos processos tradicionais, podemos citar também a vantagem geométrica e dimensional. Até então, não era possível fabricar geometrias complexas e orgânicas contando somente com os processos convencionais. Mas a Impressão 3D veio para revolucionar este mercado. Através da criatividade e imaginação, designers podem deixar a liberdade tomar conta de seus projetos, onde muito além da estética, designs orgânicos e generativos trazem vantagens mecânicas incríveis quando comparados aos projetos convencionais.

Ademais, antes completamente inviável, hoje podemos produzir pequenos lotes ou até mesmo peças únicas e personalizadas, a um custo totalmente acessível.

Por fim, podemos contar ainda com as reduções de tempo de desenvolvimento total de um projeto bem como a redução nos custos de produção dos lotes de peças finais.

Manufatura Aditiva aliada à Manufatura Convencional

Ao contrário do que muitos pensam a Impressão 3D não veio para substituir os processos convencionais, mas sim para auxiliar e empoderar toda a cadeia de processos industriais.

A Impressão 3D é capaz de processar materiais e ligas projetadas especificamente para cada aplicação, entregando geometrias orgânicas e complexas em um tempo menor de desenvolvimento. Processos como Usinagem são extremamente precisos e entregam excelente acabamento superficial. 

Portanto, em determinados projetos, torna-se completamente plausível a utilização da chamada Manufatura Híbrida, onde processos de adição e subtração são combinados para reduzir os custos e otimizar a produção de determinados componentes.

RESUMO

A seguir, criamos uma tabela simples e direta, para auxiliar na escolha por uma, outra ou ambas as tecnologias em conjunto:

Gostou do conteúdo? Fique atento para mais informações sobre o universo da Manufatura Aditiva e Indústria 4.0!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *